Bomba dosadora: saiba como evitar a entrada de ar no equipamento

out 10, 2022 | Bomba dosadora, Cloro, Dosador de cloro, Primeiros Passos, Tratamento de água | 1 Comentário

Necessárias em muitos processos, ter uma bomba dosadora é essencial. Sua função é a de dosar determinada quantidade de fluido em variados sistemas, desde a dosagem de cloro em piscinas até produtos químicos em estações de tratamento.

Entretanto, há um grande problema que pode ocorrer nestas bombas ao ponto de comprometer seu funcionamento: a entrada de ar no equipamento!

Quando há a presença de ar na área de sucção da bomba dosadora, ela pode gerar ruído em excesso, perda de desempenho, vibração, oscilação dos manômetros e até quebra do equipamento.

Por isso, veja quais medidas adotar para evitar a entrada de ar no equipamento dosador, permitindo que ele cumpra sua função com excelência.

Por que entra ar na tubulação de uma bomba dosadora?

Bombas, de maneira geral, são equipamentos que transferem, medem e controlam fluidos, levando-os de um ponto a outro com maior facilidade e grande eficiência. Já bombas dosadoras transferem este fluido de forma controlada e recorrente, sempre conforme a necessidade.

Porém, quando ocorre interrupção por qualquer motivo, a bomba para de transferir o fluido de um ponto para outro. Como um processo natural, há a possibilidade da entrada de ar dentro da tubulação deste sistema, ocasionando diversos problemas.

Essa entrada de ar ocorre geralmente quando se deixa acabar o produto químico no reservatório.   

No caso específico de uma bomba dosadora, a presença de ar no cabeçote é bastante crítica no processo de dosagem. Afinal, a bomba só irá trabalhar da forma correta sem a presença de ar nas mangueiras e no cabeçote.

 

Recomendações para evitar a presença de ar na bomba dosadora

Para que a presença de ar não comprometa o funcionamento de uma bomba dosadora, há algumas recomendações que devem ser adotadas.

Inicialmente, todos os pontos rosqueáveis do sistema (bomba dosadora, encanamentos e mangueiras) devem estar sempre bem vedados, envolvidos com fita veda rosca. Isso irá evitar a entrada de ar ou vazamento de água pelas conexões.

Se alguma das conexões não estiver bem vedada, um certo volume de ar entrará no encanamento enquanto a bomba estiver trabalhando. Consequentemente, ela precisará fazer mais força para transferir o fluido e o motor tende a esquentar. 

Isto poderá desligar a bomba e, em alguns casos, pode até queimar a solenóide devido ao superaquecimento.

Além disso, ao conectar as mangueiras, é fundamental verificar se as mesmas estão firmes e sem curvas, evitando o risco de rompimento e formação de fissuras que podem permitir a entrada de ar. 

Por fim, é também válido lembrar que o reservatório de produto químico deve estar abaixo da bomba dosadora e o ponto de injeção acima deste equipamento. Isso evita uma dosagem por gravidade com o chamado “efeito sifão”.

Vale ressaltar que a existência de ar na tubulação de entrada (sucção) ou no cabeçote da bomba pode fazer com que a bomba permaneça em funcionamento, mas não bombeie o fluido. 

Neste caso, a solução é encher novamente a bomba com o fluido a ser bombeado até que todo o ar saia da tubulação. Também é importante vedar bem todas as conexões e verificar a válvula, consertando ou trocando em caso de necessidade.

Lembre-se: a bomba só vai trabalhar quando é retirado todo o ar presente nas mangueiras e cabeçote. Para isto, vale utilizar a válvula de purga/escorva do cabeçote.

Outra recomendação bastante importante é adotar o Kit filtro, considerado o principal acessório capaz de evitar a entrada de ar nas bombas dosadoras.

Neste caso, o filtro mais um sensor de nível são a combinação perfeita para evitar este problema, pois:

  • Ajuda a identificar a falta de produto químico;
  • Pausa a dosagem de produto químico de forma automática;
  • Evita desperdícios;
  • Não deixa que ocorra a entrada de ar entrar no sistema;
  • Evita superaquecimento da bomba pela ausência de produto;
  • Aciona alarme de aviso para o operador.

Por fim, é importante ressaltar que este kit é compatível com os seguintes modelos da Exatta Bombas: 

  • EXD 
  • EXDPlus 
  • EXpH-ORP

Em breve nós da Exatta Bombas lançaremos nossa bomba EX com o mesmo sensor de nível.

 

Um sistema bem dimensionado e operado faz toda a diferença

De fato, controlar a presença de ar na bomba dosadora é uma exigência para que este equipamento funcione de forma constante sem maiores problemas.

Mas, é importante ressaltar que cada sistema de bombeamento é diferente e muitos podem ser extremamente complexos. Por isso, é recomendável que consulte uma equipe de especialistas para escolher o sistema mais adequado.

Além disso, é importante uma bomba dosadora que seja fabricada com o melhor padrão de qualidade. Opte por empresas que tenham experiência no desenvolvimento e fabricação de equipamentos de dosagem, como é o caso de todo o portfólio da Exatta Bombas.

 

Continue acompanhando o blog da Exatta Bombas e saiba muito mais sobre bombas dosadoras.

Orcamento

5/5 - (2 votes)

1 Comentário

  1. HÉLIO HENRIQUE KEMPNER

    Muito bom 0 artigo

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.